Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Juntos para os bebês nascidos muito cedo, cuidando do futuro: 17/11 – Dia Mundial da Prematuridade

Escrito por Sandra Teixeira | Publicado: Terça, 17 de Novembro de 2020, 14h22 | Acessos: 22

As comemorações do Dia Mundial da Prematuridade tiveram início em 2008, reunindo organizações da Europa, Estados Unidos, África e Austrália, transformando-se, posteriormente, em um movimento intercontinental. Hoje, mais de 100 países unem forças com atividades, eventos especiais e se comprometem com a ação para ajudar a abordar o parto prematuro e melhorar a situação dos bebês prematuros e de suas famílias.

Todos os anos, 15 milhões de bebês nascem prematuramente - mais de um em cada dez bebês em todo o mundo. Sem um grande esforço conjunto para reduzir essas mortes, a meta global, endossada por 193 países para acabar com todas as mortes evitáveis ​​de recém-nascidos e crianças até 2030, não será alcançada.

No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, o equivalente a 931 por dia ou a 6 prematuros a cada 10 minutos. Mais de 12% dos nascimentos no país acontecem antes da gestação completar 37 semanas, o dobro do índice de países europeus.

O Dia Mundial da Prematuridade é um momento chave para focar a atenção global na principal causa de mortes de crianças menores de 5 anos: as complicações do parto prematuro, responsáveis ​​por quase 1 milhão de mortes a cada ano.


Os problemas da prematuridade vão além do baixo peso - um prematuro precisa de cuidados especiais na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), o que aumenta em três vezes o risco de morte e sequelas futuras para sua vida adulta.

Essas crianças permanecem por um longo tempo internadas e, durante esse período, seus pais passam por vários graus de ansiedade e de medos. Medo da perda, de sequelas e depois, próximo da alta, o medo de cuidar da criança em casa. Portanto, além da equipe da UTIN cuidar do recém-nascido prematuro, deve cuidar também da família, que necessita de muito apoio, acolhimento e, progressivamente, de acordo com a evolução do bebê, do estímulo para participem dos cuidados do dia a dia.

A gravidez média dura cerca de 37 a 42 semanas. Todo bebê nascido antes de completar 37 semanas de gravidez é considerado prematuro. As seguintes subcategorias são usadas para uma distinção adicional:

- extremamente prematuro: menos de 28 semanas de gestação;
- muito prematuro: 28 a 32 semanas de gestação;
- pré-termo moderado a tardio: 32 a 37 semanas de gestação;
- prematuro tardio: 34 a 36 semanas e 6 dias de gestação.

Causas de prematuridade:

- malformação fetal;
- patologias maternas: algumas mulheres com diagnóstico de doenças uterinas como mioma, câncer de colo de útero ou colo de útero curto, por exemplo, podem ter parto prematuro. A infecção urinária é comum durante a gravidez, mas não tratá-la pode representar um risco à saúde do bebê, além de provocar parto prematuro. As infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) também podem adiantar o nascimento, pois afetam o organismo da mulher como um todo;
- idade materna: mulheres que engravidam após os 35 anos estão mais suscetíveis ao parto prematuro, assim como mães adolescentes, com idade uterina imatura, também apresentam maior risco de antecipar o trabalho de parto;
- tabagismo;
- gestação de múltiplos: atualmente os casos de gestações múltiplas são mais comuns por causa do avanço dos tratamentos de fertilização. Nesses casos, a interrupção da gravidez antes da 37ª semana pode ser uma indicação médica para garantir a segurança e a saúde dos bebês;
- hipertensão: durante a gravidez, algumas mulheres apresentam aumento da pressão arterial, principalmente após a 20ª semana de gestação;
- diabetes gestacional: causada, principalmente, pelo ganho de peso expressivo da mãe. Para combater a hipertensão e a diabetes é preciso manter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos com orientação médica.

A importância do pré-natal:

O principal objetivo da atenção pré-natal e puerperal é acolher a mulher desde o início da gravidez, assegurando, ao fim da gestação, o nascimento de uma criança saudável e a garantia do bem-estar materno e neonatal.

A atenção obstétrica e neonatal, prestada pelos serviços de saúde, deve ter como características essenciais a qualidade e a humanização. É dever dos serviços e profissionais de saúde acolher com dignidade a mulher e o recém-nascido, enfocando-os como sujeitos de direitos.

Um pré-natal adequado e iniciado precocemente pode detectar problemas maternos que possam desencadear o parto prematuro.

No Sistema Único de Saúde, o pré-natal está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).
É importante que todos os profissionais dos serviços de atenção primária façam parte do cuidado pré-natal, como agente comunitário de saúde, técnico de enfermagem, dentista e, se necessário, assistente social, psicólogo, fisioterapeuta, entre outros.


Fontes:

Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros
https://prematuridade.com/index.php/interna-post/prematuridade-entenda-as-causas-e-os-cuidados-necessarios-8599

European Foundation for the Care of Newborn Infants (EFCNI) https://www.efcni.org/activities/campaigns/wpd/

Healthy Newborn Network
https://www.healthynewbornnetwork.org/event/world-prematurity-day-2020/

Hospital Moinhos de Vento
https://www.hospitalmoinhos.org.br/saude-e-voce/dia-mundial-da-prematuridade-um-em-cada-dez-bebes-nascem-prematuros/

Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz)
http://www.iff.fiocruz.br/index.php/8-noticias/178-dia-mundial-prematuridade

Ministério da Saúde. Caderneta de Saúde da Gestante
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderneta_gestante_4ed.pdf

Ministério da Saúde. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pre-natal_puerperio_atencao_humanizada.pdf

Sociedade de Pediatria de São Paulo
https://www.spsp.org.br/2017/11/13/dia-mundial-da-prematuridade/

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página